ROGÉRIO RICKLI É ELEITO PARA PRESIDÊNCIA DA CAMP

  A Assembleia Geral Ordinária da Cooperativa Agrícola, realizada na sexta-feira, 15 de março, no auditório da cooperativa, analisou vários pontos relativos ao exercício financeiro de 2018, bem como projeções de movimentação de safra e produtos estipulada para 2019. Mas o ponto principal da AGO foi analisar a prestação de contas da diretoria que cumpriu o mandato de quatro anos e eleger os novos componentes para administrar os rumos da cooperativa para este mandato que se inicia a partir de agora. Apenas uma chapa foi inscrita para concorrer, sendo aclamada por unanimidade dos associados presentes, aprovando o nome do empresário rural Edison Rogério Rickli como Diretor-Presidente; Eloi Marino Bobato como Diretor Vice-Presidente, e Sidnei Gomes de Camargo, como Diretor Secretário. Foram aprovados também os nomes de Antonio Cezar Cosmo, Edmir Servat, Raimundo Lazai, José Tarcísio Pontarolo e João Valderi Neves da Rocha, como membros vogais da diretoria. Por sua vez, o Conselho Fiscal foi totalmente renovado, sendo composto pelos nomes de José Parkuts, Márcio Luiz Leite, e Sérgio Olívio Deczka, na condição de titulares e Márcio Terluk, Pedro Pastuch e Silvestre Slota na condição de Suplentes. Rogério Rickli já vinha respondendo interinamente pela Presidência nos últimos meses, em virtude do afastamento por problemas de saúde do Presidente Henrique Chiaradia. Após indicação de seu nome para assumir novo mandato por vários cooperados, acabou aceitando a missão de administrar os rumos da cooperativa por mais um mandato. Ao se pronunciar, Rickli agradeceu a confiança depositada em sua pessoa, juntamente com os demais membros da diretoria e colaboradores, e destacou que pretende continuar com o sistema administrativo que vem sendo desenvolvido conforme o plano de modernização e investimentos traçado ao longo dos últimos anos pelas diretorias que o sucederam, e que vem projetando a CAMP como uma das cooperativas que mais vem crescendo, em sua categoria, no estado, conforme dados da própria Ocepar – Organização das Cooperativas do Estado do Paraná -, com números da ordem de oito por cento ao  ano. “Nós assumimos o compromisso de um novo mandato na cooperativa, mas junto com os demais diretores estamos implementando um projeto de renovação, com envolvimento de demais sócios na participação dos conselhos, inclusive, com renovação total de seus membros a cada período”, comentou o presidente Rogério.   Durante a assembleia, foram apresentados números da gestão administrativa 2015 a 2019, envolvendo planos de investimentos, movimentação de compras e aquisições, bem como resumo de recebimento e venda de sua produção de grãos e outros itens, incluindo loja de peças e produtos, viveiro de mudas, soque de erva-mate, posto de combustíveis e TRR de óleo diesel, os quais tiveram números positivos, que transformaram a CAMP numa das cooperativas mais sólidas e que mais cresceu, dentro de sua categoria no Estado do Paraná, segundo dados de acompanhamento da Ocepar – Organização das Cooperativas do Estado do Paraná -, com taxas superiores a oito por cento ao ano.   PLANO DE INVESTIMENTOS E EXPANSÃO Implementado desde meados de 2011, o plano de expansão e investimentos da CAMP transformou toda sua infraestrutura, com construção de novos espaços físicos para todo o funcionamento dos quadros existentes, envolvendo vários setores, como sede administrativa, TRR de combustíveis, unidades receptoras de grãos, viveiro de mudas, soque de erva-mate, logística, e setor de lojas. Houve um remanejamento do corpo funcional, que mudou do sistema de gerência geral para descentralização de setores, criando-se os departamentos específicos, com autonomia, envolvendo o contábil financeiro, administrativo, técnico, e comercial. Remanejamento de colaboradores e contratação de novos funcionários permitiu que o atendimento direto ao cooperado e terceiros fosse ampliado e agilizado, oferecendo mais serviços e opções dentro da estrutura geral, sem perder o foco na qualidade e padrão, o que gerou incrementos no faturamento geral, com ampliação do leque de produtos a todas as categorias de produtores, desde o mini até ao grande. Nesse período, ganhou destaque no ano de 2015 a inauguração oficial do bloco dois, denominado de “Ordalino Angelo Guarienti”, que sedia toda a área técnica, administrativa, e de loja, com 1600 metros quadrados de área construída, num projeto moderno e funcional. A modernização de frota de veículos do departamento técnico e da logística foi feita com aquisição de novas unidades entre caminhonetes, veículos e caminhões, além de máquinas diversas para carga, descarga e serviços diversos nas unidades. A estrutura geral da cooperativa foi totalmente reestruturada e ampliada, como a área externa da unidade armazenadora da Br-373; o auto posto com novas bombas digitais, loja de conveniências, adequação de fossas sépticas nos padrões ambientais e de vigilância sanitária; o viveiro de mudas sofreu ampliação no espaço físico, com mais opções na variedade de mudas e utensílios para jardinagem; o soque de erva-mate recebeu maquinário moderno para empacotamento da erva, inclusive com novos tamanhos de embalagens. O setor de comercialização registrou recordes em volumes recebidos de soja, milho, e trigo. Outro ponto, foi a devolução das sobras do exercício anterior aos cooperados, um fato inédito na história da cooperativa, além do reconhecimento ao trabalho dos associados com idade superior a 65 anos, com o repasse de seu  capital social, com valores da ordem de mais de um milhão e meio de reais. Ao entrar nos seus quarenta anos de existência, a CAMP manteve o programa de investimentos e remodelação, com obras no seu principal setor, a unidade armazenadora de grãos da Br-373. Pensando na questão do suporte da armazenagem de grãos, que cresce a cada safra, houve nesse período a implementação de uma grande obra, com construção de mais dois silos com capacidade para 110 mil sacas cada um, ou seja, mais de 13,2 mil toneladas. Assim, o complexo passou de 22 mil toneladas, para quase 35 mil toneladas seu suporte de estocagem de grãos, suprindo a demanda regional por alguns anos. Isso em virtude do aumento constante na recepção de grãos, que vem registrando recordes a cada safra. Os investimentos na unidade a partir de 2016 continuaram, com instalação de mais um silo de expedição de cereais, dobrando a capacidade de embarque de caminhões, evitando filas e congestionamento. Para fazer o trabalho mesmo com chuva, foi feita cobertura metálica de toda área de embarque de cereais. Para atender a tudo isso, houve também a instalação de mais uma balança rodoviária de 100 toneladas, permitindo o peso ao mesmo tempo de dois caminhões, tanto na entrada como na saída da unidade. Também foi feita a troca das correias, pelo sistema radler, dos túneis, além de revisão e aumento de carga do sistema elétrico e de segurança, com para-raios. O complexo armazenador passou a figurar como um dos mais representativos de nossa região, pela estrutura existente.